TEXTO: ALEJANDRA FERNÁNDEZ IMAGENS: Fundación MAPFRE

A Fundación MAPFRE lançará em outubro seu novo projeto cultural em Barcelona, o centro de fotografia KBr. Com essa iniciativa, reforça seu compromisso de mais de uma década com essa prática artística.

A Fundación dará um passo adiante no apoio e na disseminação da fotografia com a abertura de seu novo espaço, o centro de fotografia KBr Fundación MAPFRE, no qual, além de continuar com as exposições já desenvolvidas, serão promovidas iniciativas inéditas como parte da atividade fotográfica da Fundación, como a preparação de exposições de coleções catalãs, que permitam apoiar a proteção do patrimônio, sua promoção e divulgação e reforçar a presença da Fundación MAPFRE como agente cultural na capital catalã. Nesse sentido, no próximo ano, a primeira exposição será realizada em colaboração com o Centre de Recerca i Difusió de la Imatge (CRDI)- Ajuntament de Girona.

Além disso, será desenvolvido um programa educacional de caráter permanente e orientado, que irá além da explicação sobre uma exposição específica, ele irá formar as gerações futuras na compreensão da linguagem fotográfica e sua dimensão artística. Também serão programados reuniões e ciclos de conferência. Devido à crise de saúde causada pela COVID-19, e seguindo as medidas estabelecidas para sua prevenção, essas iniciativas serão lançadas a partir de 2021.

Para complementar todas essas atividades e exposições, será criado um prêmio de projeção internacional. Nas palavras de Nadia Arroyo, diretora de cultura da Fundación MAPFRE: «depois de quatro anos satisfatórios de presença ativa na vida cultural da cidade, este novo projeto expressa o interesse da Fundación MAPFRE em reforçar sua contribuição ao dinamismo e projeção de Barcelona através de uma área – a fotografia artística – intimamente associada à excelência cultural da Catalunha contemporânea».

O Centro

Este novo espaço, que substitui a sede atual – a Casa Garriga Nogués, localizada no bairro de Ensanche e um ótimo exemplo do modernismo catalão – ficará em um dos edifícios mais representativos da Barcelona contemporânea: a Torre MAPFRE, nos arredores do Porto Olímpico. Localizada especificamente no conhecido Edifício Vela, um grande espaço curvilíneo no nível da rua, a nova sede tem um total de 1.400 m2 e conta com duas salas de exposições, um espaço para atividades educacionais, um auditório e uma livraria. É, sem dúvida, um lugar icônico e que identifica o propósito da Fundación MAPFRE de estar presente em Barcelona. Você pode consultar todas as informações em https://kbr.fundacionmapfre.org/

Este novo espaço estará localizado em um dos edifícios mais representativos da Barcelona contemporânea: a Torre MAPFRE, nas proximidades do Porto Olímpico

Por que KBr?

KBr é a fórmula química do brometo de potássio, um sal usado no processo de revelação da fotografia analógica. Sua principal função é frear ou atrasar a ação do agente revelador, a fim de impedir a formação do chamado véu químico, o que permite obter uma maior pureza do branco na imagem. O nome reflete a continuidade de uma carreira institucional que prestou atenção especial à grande tradição dos mestres da fotografia, mas também na universalidade do símbolo, na dimensão da fotografia como linguagem contemporânea compartilhada e na profunda vocação internacional com que o Centro foi concebido.

Paul Strand
Blind Woman, New York [Mulher cega, Nova York], 1916 (negativo),
década de 1940 (cópia)
Cópia para a gelatina de prata
Coleções Fundación MAPFRE, FM000886
© Aperture Foundation Inc., Paul Strand Archive

Bill Brandt
Parlourmaid and Under-parloumaid Ready to Serve Dinner, 1938
© Bill Brandt / Bill Brandt Archive Ltd.

Bill Brandt e Paul Strand, dois artistas fundamentais da fotografia moderna

O novo espaço abrirá suas portas com duas grandes exposições, na sala principal serão exibidas as fotografias de Bill Brandt (Hamburgo, 1904-Londres, 1983).

Aprendiz no estúdio de Man Ray e influenciado por seu contemporâneo Brassaï, Brandt é considerado, atualmente, um dos fundadores da fotografia moderna, ao lado de Walker Evans e Cartier-Bresson. Suas imagens, que exploram a sociedade, a paisagem e a literatura inglesas são essenciais para entender a história da fotografia e até a vida britânica em meados do século XX.

A segunda exposição, que será exibida na sala 2, apresenta pela primeira vez de maneira individual uma coleção de fotografias de Paul Strand, a maior coleção conservada do artista fora dos Estados Unidos. Mais de 100 obras que compõem uma jornada completa pela carreira de um dos fotógrafos mais importantes do século XX.

Paixão pela fotografia

A lista de fotógrafos é impressionante: desde grandes mestres como Walker Evans, Eugène Atget, Lewis Hine, Álvarez Bravo, H. Cartier-Bresson, Garry Winogrand, Emmet Gowin e Paul Strand, a fotógrafos de renome como Fazal Sheikh, Ana Malagrida, Lynne Cohen, Stephen Shore, Hiroshi Sugimito e Richard Learoyd, entre outros. As salas da Fundación MAPFRE receberam na última década exposições memoráveis dos grandes nomes da fotografia.

A paixão da Fundación MAPFRE por essa técnica se concretizou em 2008 com a aquisição de As Irmãs Brown de Nicholas Nixon e em 2009 foi inaugurada, na Sala Azca, em Madrid, a primeira grande exposição retrospectiva produzida pela Fundación MAPFRE sobre Walker Evans. E desde então apenas cresceu, a prova disso foi a abertura da Sala Bárbara de Braganza, em Madrid, dedicada exclusivamente à fotografia e, em 2015, a abertura da Sala Garriga Nogués, em Barcelona. Essa aposta agora faz parte do DNA da Fundación, não apenas pela importante coleção de fotos reunidas ao longo dos anos, mas também por sua capacidade de produzir exposições que viajam pelo mundo para que seja possível desfrutar desta arte em muitos outros lugares.

A Fundación se tornou uma instituição de referência internacional nessa área, o que lhe permitiu estabelecer parcerias sólidas com outras entidades, como o Museum of Modern Art de San Francisco, a Morgan Library de Nova York, o Philadelphia Museum of Art e o Art Institute of Chicago, com os quais foram coproduzidas grandes exposições como a de Garry Winogrand, Paul Strand ou Peter Hujar, para citar alguns exemplos. A abertura do centro de fotografia de Barcelona é mais um passo no compromisso dessa instituição com a arte e, especificamente, com a fotografia.